A Contribuição de Greta Thunberg

O mundo civilizado, seja europeu, norteamericano ou asiático, já destruiu a maior parte de suas florestas e transformou suas terras em áreas de cultivo. Além disso, desde a época da revolução industrial, esses países têm utilizado fontes de energia com elevado teor de poluição, cujas consequências estão surgindo com intensidade neste novo século.

A mudança súbita do clima chamou a atenção do mundo inteiro para os riscos em que a humanidade está incorrendo e medidas foram adotadas para minorar o quadro devastador em que se encontra o planeta.

Em meio a essa luta contra a poluição e a devastação dos bens materiais, o espírito colonizador do europeu reaparece e providências restritivas são impostas às ex-colônias da América do Sul e da África. Enquanto isso, os grandes parques industriais do mundo continuam em plena atividade, jogando na atmosfera uma quantidade infinita de elementos poluentes.

Nesse contexto, surge a pitoresca figura de Greta Thunberg, garota sueca, de incrível coragem, que decidiu sensibilizar os povos e seus governantes acerca da crise do clima. Seu discurso, porém, suscitou tanto o fascínio como o ódio por tudo o que sua figura pública sintetiza. Greta representa a novidade na sociedade atual, ou seja, a opinião ou a nova política que é gestada à margem dos centros tradicionais do poder.

À Academia cabe observar os movimentos da sociedade e perceber o que cada opinião traz de verdadeiro. Greta faz sua parte, embora muitos possam trazer também sua contribuição. O mundo é feito de muitas cabeças e de diferentes interesses. O importante é que cada um saiba perceber o que o outro tem de verdadeiro e positivo.

Pedro Henrique Chaves Antero – Ex-professor de Ciências Políticas