Abra um livro, expanda a mente.

   Quantos livros você já leu neste ano? Nesse último mês? Nessa última semana? Li agora há pouco um post no Instagram que dizia que ler um bom livro é um dos prazeres simples da vida. E é verdade. Mas por que o brasileiro ainda lê tão pouco, mesmo sabendo o quão prazerosa e importante pode ser a leitura?

   Dados recentes de uma pesquisa feita pela empresa Picodi apontam que 31% da população brasileira não leem livros. Outro estudo feito em 2016 pelo Instituto Pró-livro diz que o brasileiro lê em média 2,43 livros por ano (muito pouco!). Trago esses dados não em forma de julgamento ou imposição, mas muito me preocupa que o 5° país mais populoso do mundo ainda careça tanto no quesito leitura. E não é por menos que vemos tanta falta de compreensão de texto por parte de alguns e ignorância por parte de outros.

   Em tempos onde a informação chega de forma desenfreada, cabe às pessoas terem um filtro e muito cuidado. Por isso que é importante você construir uma bagagem literária e assim tentar discernir o fato do fake. Ao ler um livro, por exemplo, você é capaz, além de enriquecer seu vocabulário, de construir uma percepção narrativa, de adquirir conhecimento, de expandir a mente para novos conceitos, bem como desconstruir preconceitos.

   Tome um livro como um amigo seu. Alguém capaz de seguir os seus passos, de ser seu companheiro e seu cúmplice, de levá-lo a lugares inimagináveis e de  surpreendê-lo a cada história. Se o que nos une aos amigos são as afinidades, aquilo que temos em comum, comece partindo disso: busque um livro de seu interesse, de sua curiosidade, de temas ou histórias que lhe despertem para o hábito de ler.

   Se incentivássemos uma pátria armada de livros e não de fuzis, talvez não houvesse tanta violência. É muito cômodo acreditar que liberar o uso de armas no Brasil será a salvação e o caminho para o fim da violência, quando não percebemos que o problema vem da base. E vale ainda ressaltar que intolerância e censura nunca foram caminhos para a construção de uma sociedade melhor.

   Livre-se da ignorância lendo um livro. Não, essa não é solução única e imediata, mas já é o primeiro passo a se firmar para compreender que tem muita coisa nas entrelinhas, que o mundo vai muito além da sua bolha, que a vida tem concepções e pontos de vista que vão além do seu senso comum.

Ler é bom, vai por mim.

Por André Luís.