Outubro é conhecido mundialmente como um mês marcado por ações afirmativas de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Conhecida como Outubro Rosa, a campanha compartilha informações sobre o câncer de mama promovendo a conscientização da doença, proporcionando maior acesso aos serviços de saúde e diagnóstico precoce. As ações realizadas durante o mês contribuem para a redução da mortalidade do câncer de mama da mulher cearense.

É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O tumor responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. Ele também acomete homens, porém é raro, representando menos de 1% do total de casos da doença. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente em mulheres acima de 50 anos. Existem vários tipos, porém alguns evoluem de forma mais rápida.

A postura atenta da mulher em relação à saúde das mamas significa conhecer o corpo e quais alterações são consideradas suspeitas. Por isso, é fundamental para a detecção precoce dessa doença que o autoexame – exame de toque das mamas – que deve ser feito todos os meses, sempre, no quinto dia após a menstruação.

Prevenção da doença

A prevenção do câncer de mama baseia-se no autoexame mensal e na realização de mamografia a cada dois anos, especialmente, em mulheres acima de 50 anos. No entanto, o controle dos fatores de risco também é eficaz. O estímulo aos fatores protetores são importantes devido ser por meio deles ser possível reduzir o risco de desenvolver a doença. Além do controle de peso corporal e consumo de bebidas alcoólicas, recomendações de especialistas na prevenção da doença.

Para Luiz Porto, mastologista e membro do Comitê de Controle do Câncer no Ceará, a prevenção ajuda no diagnóstico precoce da doença aumenta as chances de tratamento. “A mamografia deve ser feita pelo menos a cada dois anos, principalmente, em mulheres acima de 50 anos”, ressalta o especialista.

O médico alerta ainda para os fatores de risco comportamentais, que estão relacionados ao desenvolvimento do câncer de mama como o excesso de peso e a falta de atividade física. “Estima-se que com uma boa alimentação e atividade física é possível reduzir o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Por isso, é tão importante a mulher controlar seu peso, ter uma alimentação saudável e praticar exercícios pelo menos três vezes por semana, a amamentação também é considerada um fator protetor”, enfatiza.

 

A doença no Estado

Em 2018, 720 mulheres morreram em decorrência da doença no Ceará. Até julho deste ano, o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), registrou 453 óbitos em todo o Estado. Para não fazer parte da estatística, o diagnóstico precoce ainda é o maior aliado da mulher para o tratamento eficaz do câncer de mama. Quando identificado cedo pode ser tratado, impedindo que o tumor alcance outras proporções e agravos à saúde.

Para o diagnóstico do câncer de mama, o Governo do Ceará, conta com 88 mamógrafos nas unidades de saúde do Estado. Em 2018 foram realizadas 112.744 mamografias. Em 2019 até o mês julho, 48.680. Totalizando 161.424 exames em dois anos. A mamografia é recomendada a cada dois anos e o exame de rotina ajuda a detectar em fases iniciais a doença, em grande parte dos casos, aumenta as chances de tratamento e cura.

Outubro Rosa

O nome da campanha remete à cor do laço que é um símbolo internacional usado por organizações e empresas na luta e prevenção do câncer de mama. É por esse motivo que em outubro a cor rosa indica a adesão ao movimento Outubro Rosa celebrado anualmente desde os anos 90.

 

Fonte:

Matéria publicada no site do Governo do Estado na URL https://www.ceara.gov.br/2019/10/08/outubro-rosa-reforca-prevencao-e-diagnostico-precoce-do-cancer-de-mama