A tecnologia desumaniza?

Desde o advento da era digital e toda a avalanche de questões trazidas com ela que perpassam do uso da internet à inteligência artificial, o ser humano passou a refletir sobre como a tecnologia afeta as nossas vidas. E isso é uma questão ampla, complexa e delicada, porque nos faz pensar sobre um futuro que além de incerto é desafiador – o homem diante das máquinas: problema ou solução?

Pude participar recentemente de um painel intitulado “Daqui pra onde?”, no Menos 30 Fest em Fortaleza, evento sobre futuro e empreendedorismo jovem, e uma pergunta que me chamou bastante atenção na plateia foi exatamente esta: “A tecnologia desumaniza?”. Os expositores especialistas em questão defenderam com unhas e dentes o lado positivo da tecnologia, contudo, tal questionamento não deixou de ser inquietante.

É inegável o poder da tecnologia. A questão é saber como lidar com ela. É esperançoso acreditar no futuro onde ela seja nossa aliada. Hoje já vemos casos do uso desta na saúde, na educação, na gestão e em diversas áreas aonde atua de forma eficiente. Mas daqui a alguns anos, como será o impacto disso em nossas vidas? Estaremos obsoletos diante de uma sociedade tomada por robôs? E como ficam questões como ética e empatia?

Se de um lado a tecnologia permitiu um maior acesso à informação, esse acesso ainda não chega à toda população, vale ressaltar, principalmente por questões de desigualdades socioeconômicas. Então, para além das transformações tecnológicas do homem frente às máquinas, precisamos ainda refletir questões como: esse futuro “acessível” será diverso e inclusivo?

Daqui pra onde? Confesso que não sei. Nem mesmo uma roda de conversa foi capaz de responder essa pergunta com precisão. Porque estamos em constantes transformações. Não dá para prever o que acontecerá amanhã, pois o próprio hoje ainda está sendo construído e pode ser alterado a qualquer instante. A subjetividade humana ainda guarda grandes surpresas e só podemos esperar que elas sejam as melhores possíveis.

Por André Luís.